terça-feira, 18 de março de 2008

JESUS CRISTO É SINGULAR

PR. MARCOS GLAYSON ALENCAR

JESUS CRISTO É SINGULAR



Para você, qual o significado da palavra “SINGULAR? É uma palavra derivada do latim “singulare” que segundo o Aurélio é : 1. Pertencente ou relativo a um; único, particular, individual. 2. Que não é vulgar; especial, raro, extraordinário: 3. Diferente, distinto, notável. 4. E. Ling. Diz-se do número (11) que indica apenas um ser.
O que a palavra singular tem haver com Cristo? Bem, se entendemos que singular significa único, especial, raro, extraordinário, diferente, distinto, notável, felizmente isso tem tudo haver com Cristo. Pois todas essas definições traduzem perfeitamente a pessoa de Jesus. Ele é único, singular, jamais existiu ou existirá um ser humano que venha de longe ameaçar essa singularidade.
Jesus Cristo é singular, devido ser diferente, único, raro, especial em tudo que fez, suas ações, atitudes, reações, sempre se diferenciou dos demais seres humanos. A bíblia mostra várias singularidades de Jesus, que O diferencia, O distingue dos demais seres humanos.
Nasceu, viveu, morreu e ressuscitou sem pecado. Todos os demais homens nasceram sobre a maldição do pecado(Rm 3.23). O pecado foi uma herança de Adão que infectou toda raça humana(Rm 5.12), menos Jesus Cristo(Jo 8.46; 2 Cor 5.21; 1 Pe 1.18-21). Aqui está o coração do Evangelho: o salvador sem pecado assumiu nossos pecados para que possamos ter a justiça de Deus. Somente Cristo permaneceu toda sua vida, desde o nascimento terreno até hoje sem pecar.
Seu nascimento foi sobrenatural. Ele nasceu de modo sobrenatural, sem ser preciso haver uma junção do esperma e do óvulo, seu nascimento foi uma obra sobrenatural de Deus por meio do Espírito Santo(Mt 1.18-25). Jesus mesmo tendo nascido de maneira sobrenatural, isso não anulou sua humanidade, ele teve uma gestação normal de nove meses(Lc 2.5,6,7), cresceu normalmente como todo ser humano(Lc 2.40), experimentou as necessidades físicas de todo ser humano, teve fome(Mt 21.18), sede(Jô 19.28), sentiu cansaço(Jo 4.6), chorou(Jo 11.35). É bom que deixar claro que Jesus não veio existir apenas quando nasceu como humano, Ele já existia na eternidade com o Pai e o Espírito Santo(Jo 17.5). Ele estava no principio com Deus criando o mundo( Jo 1.1-3). Sua concepção e nascimento foi o método necessário escolhido por Deus, para cumprir o plano da salvação(Jo 17.4,6; Gl 4.4,5).
Seu ensino revestido de autoridade. Diz a bíblia que Jesus pregava diferente dos líderes da época, o seu ensino e autoridade era conhecido por todos(Mt 7.28,29). Penso eu, que Jesus se diferenciava dos líderes da época, porque Seu ensino era visto pelas pessoas em Sua vida, através das ações, reações, atitudes. Diferentemente dos líderes, que nem de longe praticavam o que ensinavam(Jo 7.19). que triste é ter um pastor pregando algo que não vive, cobrando de suas ovelhas aquilo que não faz. Outra razão é que Jesus ensinava a Palavra de Deus(Jo 7.15-18) Seu ensino deixava as multidões maravilhadas, eles não podiam resistir tanta autoridade, tanto conhecimento, tanto poder, contido no Seu ensino. Pastores, queremos ver o nosso povo admirado, feliz, mudando de vida, deixando o pecado e consagrando-se a Deus, preguemos a Palavra, somente a Bíblia pode nos conceder autoridade, reserve tempo no seu púlpito para a pregação da Palavra, corte o que for preciso, dueto, sexteto, quinteto, corinhos e etc. Não roube o tempo precioso da pregação da Palavra de Deus, der o máximo de tempo para pregação da Palavra, os crentes vão dominar o pecado se tiverem cheios da Palavra(Sl 119.9-11), só irão crescer se tomar o leito genuíno, que é a Palavra de Deus(1 Pe 2.1-2). Muito me preocupa notar que em muitas de nossas igrejas a pregação da Palavra não seja a parte principal, o culto é cheio de especiais, hinos, cânticos, chegando a tomar uma hora de abertura, depois o pregador tem de correr, como diz um ditado popular: “SE VIRAR NOS TRINTA” pois é o tempo que tem de sobra, uma vez que o culto é de duração de uma hora e meia e foi gasto uma hora com louvor. Amados pastores e irmãos, não há necessidade de uma abertura de culto ter mais que trinta minutos, vamos nos organizar, deixa tempo de sobra para a pregação da Palavra. Os inimigos de Jesus não podiam resistir a Sua autoridade no ensino das Escrituras, os guardas que foram para prende-lo, voltaram maravilhados e disseram para os líderes “Jamais alguém falou como esse homem.”(Jo 7.46).
Sua morte foi altruísta: Entregou-se voluntariamente por amor aos pecadores, com o fim de os resgatar das trevas, para o reino de Seu amor(Jo 10.17-18). Cristo não morreu assassinado, vitima de um acidente ou enfermidade. Ele se entregou por amor voluntariamente, no tempo, no local e do predeterminado por Deus(At. 2.23; 4.27,28). Ele mesmo disse que ninguém se arriscaria por morrer em lugar de seu amigo, mas Ele assim fez(Jo15.13). Cristo deixou o seu lar de glória, encarnou-se, sofreu toda espécie de humilhação, ao ponto de seu suor se transformar em gotas de sangue, para que todos quantos nEle crêem possam ter vida eterna(Jo 3.16)
Seu perdão é sem igual: Você consegue perdoar e amar um homem que matou sua esposa e filhos? Você consegue amar os seus inimigos e orar por aqueles que vos persegue? Jesus perdoa, você sabia? Não há ofensa, pecado, crime ou pecado que o amor de Jesus não consiga perdoar. Quando estava sendo crucificado, ele intercede ao Pai pela multidão que o crucifica dizendo: “pai perdoa-lhes, porque não sabe o que fazem....”. Deus ordena que nós devemos perdoar as pessoas da mesma forma, com a mesma proporção que fomos perdoados por Ele(Cl 2.13. Confira Ef 4.23; Cl 3.12-13). Uma coisa que acho interessante é sabermos que Deus pode perdoar o pior bandido, não importando quanta perversidade possa ter cometido. Mas quando esse ex bandido perdoado por Cristo é regenerado, batizado e membro de uma igreja, vier a errar, os irmãos não o perdoa. Infelizmente a igreja tem agindo assim, misericórdia para o perdido, mas justiça sem misericórdia para com o irmão que pecou. Será que esse deve ser o procedimento adequado? Claro que não, o perdão deve ser o mesmo em todo tempo, perdoar é uma prática diária que precisamos exercer.
Tem um nome elevado sobre todos os nomes. Depois que Cristo cumpriu a obra redentora e foi ressuscitado dentre os mortes. Deus lhe exaltou sobremaneira maneira e lhe deu um nome que está acima de todo o nome, para que ao nome de Jesus, todo joelho se dobre e toda língua confesse que Cristo é o Senhor. Até os demônios do inferno, juntamente com o diabo a de se dobrar diante do nome de Jesus e confessa-lo como Senhor, para glória de Deus Pai.(Fp 2.5-11). Só através do nome de Cristo o homem pode ser salvo(At. 4.12); os demônios são expelidos na autoridade e Seu nome(Mc 9.38) os pedidos feitos no nome de Cristo serão aceitos por Deus(Jo 14.13,16) todo que invocar o nome do Senhor será salvo(Rm 10.13) O nome de Cristo fortalece a fé do crente(At. 3.16) Nossas obras e ações devem ser realizadas sobre o nome de Cristo(Cl 3.17). O nome envolve a pessoa como o todo, seu caráter, personalidade e obra. Quando a bíblia se refere ao nome de Jesus, estar falando de Sua obra como um todo.
Ninguém jamais desenvolveu em seu viver essas qualidades acima referidas. Nenhum um outro líder religioso teve um nascimento sobrenatural, viveu na terá sem pecado, teve a autoridade que tinha e tem, jamais alguém tem ou terá um nome como o de Cristo e nunca ninguém perdoará como Cristo perdoou. Essas e outras características tornam Cristo singular, especial, distinto, raro dos demais seres humanos.

Nenhum comentário: