terça-feira, 11 de março de 2008

OS VARIOS ASPECTOS DO DIZIMO

TÍTULO: O DÍZIMO DO SENHOR
TEMA: ASPECTOS DO DÍZIMO T.CHAVE: MALAQUIAS 3.7-14
P. CHAVE: “ASPECTO”
PROPÓSITOS:
1. Esclarecer alguns aspectos relacionados com o dízimo;
2. Apresentar bases bíblicas que apoiam cada aspecto;
3. Apresentar razões pelas quais o crente deve entregar seu dízimo;
4. Alistar algumas razões pelas quais os crentes não são dizimistas;
5. Mostrar os resultados para os que são dizimistas e para os que não são;
6. Informar a finalidade do dízimo na obra de Deus.
PROPOSIÇÃO: “SER DIZIMISTA É DEVER DE TODO CRENTE”
INTRODUÇÃO: Estamos nesse mês de janeiro estudando em todos os nossos cultos acerca da mordomia cristã, tendo como centro a mordomia de nossas finanças para a obra do Senhor. Gostaria nessa noite abordar alguns aspectos que estão relacionados com o dízimo, com o fim de fornecer aos irmãos bases bíblicas que lhes ajudarão a compreender melhor os aspectos desta mordomia.
SENTENÇA TRANSIÇÃO: Vamos ler o nosso texto base para que possamos dar início ao nosso estudo nesta noite, ele se encontra em Malaquias 3.7-14. Bem, agora iremos enumerar alguns aspectos ligados ao dízimo que são de suma importância, para que possamos entender bem essa mordomia.
SENTENÇA INTERROGATIVA: QUAIS SÃO ESSES ASPECTOS?
SENTENÇA DE TRANSIÇÃO: O primeiro aspecto estar relacionados com a base bíblicas que provarão ser o dízimo uma prática bíblica.
I – PRIMEIRO ASPECTO: BASES BÍBLICAS PARA O DÍZIMO
1. Abrão foi o primeiro homem mencionado na Bíblia que deu o dízimo(Gn 14.20).
1.1. Isso aconteceu 430 anos antes da lei(Gl 3.17)
1.2. A motivação gerada foi agradecimento(Gn 14.20)
1.3. Abrão deu o dízimo porque já tinha sido abençoado, não porque buscava a benção.(Gn 14.20)
1.4. Abrão deu o dízimo do bruto, pois o dízimo foi dado de tudo o que tinha ganho e não de alguma parte(Gn 14.20) Confira Hb 7.2
2. Jacó foi o primeiro homem a dar continuidade a entrega do dízimo(Gn 28.20-22)
2.1. Ele fez uma aliança com Deus de dar o dízimo de tudo ,ou seja, do bruto(Gn 28.22)
2.2. A motivação gerada foi agradecimento(Gn 28.20,21)
2.3. Jacó não deu o dízimo para ser abençoado, mais porque já tinha sido abençoado.






3. Deus gostou tanto desta prática que fez questão de colocá-la na lei(Lv 27.30-34, Ml 3.10; Dt 14.22; 26.12; 2 Cr 31.4-10; Lc 18.12)
3.1. O dízimo exigido por Deus para o seu povo era do bruto, ou seja, do campo, da semente do campo, do fruto das árvores(v.30)
3.2. Se alguém resgatasse o seu dízimo teria de acrescentar a sua Quinta parte sobre ela.(v.31). Era proibido comer o dízimo, ou seja, participar dele fora da casa de Deus(Dt 12.17-19)
3.3. Deus também cobrou o dízimo dos rebanhos e de tudo que se passava debaixo da vara do pastor(v.32)
3.4. O dízimo de todas as hortalícias era também requerido(Dt 14.22)Confira Mt 23.23.
3.5. O dízimo era entregue das primícias, ou seja, era a primeira coisa a ser tirada de tudo quanto as pessoas tinham. (Êx 34.26; Lv 2.14; 23.10; Dt 26.2,10; 2Cr 31.5; Pv 3.9)
4. Jesus ratificou o dízimo aprovando claramente no novo testamento a sua prática(Mt 23.23)
4.1. Jesus fala do dízimo de todas as espécie de hortalicia, novamente confirmando a entrega de tudo, e não somente de alguma parte.
4.2. Jesus disse que a entrega do dízimo deve ser acompanhada de muitas outras coisa relacionadas com a vida cristã.
4.3. Entregar o dízimo e viver sem praticar o amor, a justiça e a misericórdia de nada vai adiantar, pois elas andam juntas.
5. Os Fariseus também entregavam o dízimo(Lc 18,12)
5.1. O dízimo era entregue de tudo quanto tinha , e não somente de alguma parte.
5.2. Nesse ponto ele era fiel a lei, muito embora em outras partes tivesse devendo.
6. O povo de Israel também entregava o seu dízimo(2 Cr 31.5)
6.1. O dízimo era entregue das primícias, ou seja, a primeira parte sempre era devolvido ao Senhor.
6.2. O dízimo era entregue de tudo quanto o povo possuía e não apenas de algumas coisas.
7. Os levitas também entregavam o seu dízimo(Nm 18.26-32)
7.1. Eles davam o dízimo de todos os dízimos que recebiam(Nm 18.29)
7.2. O dízimo era das primícias ou seja, da melhor parte(Nm 18,29,30)
7.3. O dízimo era dado do seu bruto, veja o que diz: “...de tudo o melhor deles,..”(Nm 18.29)





CONCLUSÃO: Diante de tais passagens podemos chegar as seguintes deduções:
1. O dízimo deve ser dado de tudo quanto ganhamos ou possuímos(do bruto), e não somente de algumas coisas(líquido).
2. O dízimo deve ser a primeira parte a ser entregue quando tivermos recebido o nosso salário.(tem pessoas que dão o dízimo do resto ,ou seja, depois que paga todos os seus compromissos)
3. O crente deve dar o dízimo mediante aquilo que Deus tem lhe abençoado, e não porque ainda vai ser abençoado.
REFLEXÃO: Será que você teria a capacidade de responder as perguntas abaixo com toda a honestidade para com Deus? Use “S” para dizer sim e “N” para dizer não.
1. Você tem dado o dízimo de tudo ou de alguma parte? ( )
2. O dízimo é a primeira parte que você tira do seu salário? ( )
3. Você dar o seu dízimo porque já tem sido abençoado ou porque deseja ser abençoado? ( )
4. Você acha que tudo o que foi falado hoje é ensino de Deus ou pensamento do pastor Marcos? ( ) DEUS ( ) PR. MARCOS
5. Se você acha que é pensamento do pastor Marcos, você tem condições de mostrar na Bíblia o contrário? ( )
6. Você acha que é justo fazer uso do dízimo e não devolver ao Senhor? ( ) Alguma vez você já fez isso? ( )
7. Você acha que tem desculpas para o crente não ser dizimista? ( )
8. Você concorda com Malaquias 3.7 onde é dito que quem não dar o dízimo é ladrão? ( )
9. Você acha que Deus se alegra quando você por algum motivo deixa de entregar o dízimo? ( )
10. Com base nas passagens que lemos neste estudo, você acha que o dízimo deve ser entregue de tudo quanto temos e ganhamos, ou só de algumas coisas? ( ) BRUTO ( ) LÍQUIDO
11. Você concorda que o dízimo deve ser 10% por cento? ( )
12. Você acha errado entregar o dízimo do vale transporte, do décimo terceiro, das férias, do bolsa escola, do auxílio gás, da bolsa família, da venda da casa, da venda do carro, da venda da bicicleta, dos planos do governo, das diferencias salarias, etc? ( )
13. Você acha que devemos dar o dízimo do bruto(sem descontar o inss - plano de saúde - sindicato - empréstimos - vale transporte) ou devemos dar do líquido já descontando todos esses itens? ( )

SENTENÇA DE TRANSIÇÃO: Vimos o primeiro aspecto do dízimo que foi as bases bíblicas. Qual será o segundo aspecto? O segundo aspecto estar ligado ao lugar a onde deve ser entregue o dízimo:



II – SEGUNDO ASPECTO: QUAL O LUGAR QUE DEVE SER ENTREGUE O DÍZIMO?
1. A quem Abrão entregou o seu dízimo? (Gn 14.20)
1.1. Ao sacerdote Melquizedeque(Hb 7.1-2)
1.2. Entregou ao sacerdote do Deus Altíssimo
1.3. Melquizedeque era rei de salém(uma abreviação para Jerusalém)
1.4. Portanto o dízimo de Abrão foi entregue nas mãos de alguém que cuidava da casa de Deus.
2. Na lei Deus deixou claro o lugar a onde o seu povo deveria entregar todos os seus dízimos.
2.1. No lugar a onde Ele escolheu para ali habitar o seu nome(Dt 14.23). No contexto é claro que se fala do templo que estava em Jerusalém. Confira 2 Crônicas 7.11-22.
2.2. Malaquias deixa claro que o dízimo deve ser trazido para casa do tesouro(Ml 3.10)
2.3. Em 2 Crônicas 31.9-12 os dízimos foram trazidos a casa do Senhor
3. No novo testamento as ofertas e os dízimos eram recolhidos na casa do Senhor.
3.1. No primeiro dia da semana(Domingo) 1 Coríntios 16.1-2
3.2. De acordo com sua prosperidade
3.3. Deveria ser entregue no culto na casa do Senhor. Mateus 5.23
3.4. Os dízimos e ofertas eram depositados em grandes cofres, chamados por arca do tesouro, caixa de ofertas(versão revisada Lc 21.1) ou gasofilacio(versão atualizada).
CONCLUSÃO: Podemos concluir que:
1. Os dízimos devem ser levados a casa do Senhor.
2. Ser entregues no dia de culto.
3. De acordo com a nossa prosperidade. “contribua de acordo com a tua prosperidade, para que Deus não torne a tua prosperidade de acordo com a tua oferta”.
4. Deve ser depositado em lugar preparado para tal
5. Quem deve entregar é a própria pessoa e não outra em seu lugar.
REFLEXÃO:
1. Muitas pessoas transformam seu dízimo em Sexta básica e sai distribuindo com os pobres, você concorda com essa atitude? ( )
2. Outros dão o seu dízimo em forma de presentes para igreja, essa forma tem apoio bíblico? ( )
3. Muitas pessoas entregam seu dízimo em igrejas erradas, procure entregar o seu dízimo em uma igreja que presta contas com o seu povo, de todo o valor recolhido e que você possa participar da aplicação ou não desse dinheiro.
4. A igreja a onde você estar realmente é transparente na administração e prestação de contas de seu dízimo?

SENTENÇA DE TRANSIÇÃO: Qual será o próximo aspecto? O terceiro aspecto estar relacionado com a finalidade do dízimo.
III – TERCEIRO ASPECTO: QUAL A FINALIDADE DO DÍZIMO?
1. Em Números 18.21,24 o dízimo tinha a finalidade de suprir as necessidades dos levitas, pelo ministério que eles executavam na casa de Deus.
2. De todos os dízimos recebidos os levitas tinham que tirar 10% para oferecer ao sacerdote, para que ele também pudesse Ter suas necessidades supridas(Nm 18.25-30).
3. Deuteronômio 14.27-29 o dízimo tinha a finalidade de sustentar os levitas, o estrangeiro, o órfão e as viúvas que estavam dentro das cidades.
4. Em 2 Crônicas 31.4.(Confira o versículo 9,10) o rei Ezequias ordenou ao ovo que entregasse seu dízimo na casa do Senhor, para que os levitas e sacerdotes tivessem suas necessidades supridas.
5. Em Malaquias 3.10 Deus ordena que o povo lhe traga o dízimo para suprir as necessidades do templo(da obra de Deus).
6. Em 1Coríntios 16.1-2 as ofertas eram recolhidos para sustentar os crentes de Jerusalém que estavam passando sérias dificuldades. (Confira 2 Coríntios 8.1-15).
7. Em Filipenses 4.10-19 Paulo agradece aos filipenses pelas ofertas que eles enviaram, pois as mesmas supriram as suas necessidades.
CONCLUSÃO: O que aprendemos com estes textos?
1. Que o dízimo e ofertas de maneira geral devem ser usados para o sustento da igreja local.
2. Que o dízimo e ofertas devem ser usadas para o sustento dos missionários.
3. Que o dízimo e as ofertas são os únicos meios legais para sustentar a obra de Deus, e que qualquer outro meio como(cantinas, quermesse, brechó) são praticas anti bíblicas.
REFLEXÃO: Suponhamos que os crentes não entregassem seus dízimos e ofertas, que aconteceria?
1. A igreja não poderia fazer a limpeza do templo e dos sanitários.
2. A igreja não poderia manter a iluminação do templo. Quem gostaria de entrar num templo sujo e escuro?
3. A igreja não poderia Ter um ministério de tempo integral, e um púlpito relaxado e fraco seria a conseqüência.
4. A igreja não poderia oferecer aos seus membros e visitantes ventiladores ou central de ar condicionado. Imagine você ficar no calor por uma hora e meia, será que você aprovaria essa idéia?
5. A igreja não poderia Ter água e copos descartáveis para saciar a sede dos membros e visitantes. Você gostaria de participar de uma igreja assim?




6. A igreja ficaria impossibilitada de adquirir imóveis para a construção de congregações, frutos de trabalho de evangelização.
7. A igreja não podia cumprir o ide de Cristo, ou seja, enviar missionários aos campos, pois é nossa responsabilidade sustentá-los com ofertas de amor. Como se omitiria o crente, na grandiosa obra do coração de Deus?
8. Não entregando o dízimo, o crente se opõe a si mesmo e a Deus pelas razões encontradas em Malaquias 3.8-10.
9. Ficaria bem para o crente, dispor dos bens da igreja sem cooperar com os seus dízimos para obtenção e preservação de seus bens?
10. É certo um crente não dizimista opinar, votar ou propor despesas na igreja, uma vez que ele não estar sendo fiel nessa área?
11. Sem a entrega do dízimo nós não poderíamos gozar do conforto desse templo. Você já pensou nisso meu irmão?
SENTENÇA DE TRANSIÇÃO: Dando continuidade ao nosso estudo, analisaremos o quarto aspecto, que estar relacionado com os princípios da entrega do dízimo?
IV – QUARTO ASPECTO: QUAIS OS PRINCÍPIOS QUE DEVEM MOTIVAR A ENTREGA DO DÍZIMO?
1. Em Malaquias 3.10 encontramos três princípios, que são:
1.1. Obediência – ser dizimista é ordem de Deus, o crente fiel obedece a Deus. “Trazei todos os dízimos para casa do tesouro...”
1.2. Fé em Deus – O crente precisa depender de Deus para acreditar que suas necessidades vão ser supridas, e que o dízimo que ele entregou não irá fazer falta, pelo contrário, irá ser abençoado. “...e depois fazei prova de mim nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não nos vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para recolherdes.”
1.3. Amor – Quem ama a Deus ama a Sua obra a Sua casa(Confira 1 Crônicas 29.3 e 2 Samuel 7.1-3) e deseja que todas as suas necessidades sejam supridas “...para que haja mantimento da minha casa...”
2. Em 1 Crônicas encontramos cinco princípios que no contexto se refere a oferta, mas que ser aplicado também para o dízimo, vejamos:
2.1. Esforço – “Eu, pois, com todas as minhas forças já tenho preparado para casa de meu Deus...” Muitos crentes oferece a Deus o dízimo do resto, não se esforçam em oferecer a Deus um real sacrifício, ou seja, o meu dízimo tem que pesar no meu bolso, eu preciso saber que ele me custou alguma coisa. Veja o que diz Davi a respeito do esforço em 2 Samuel 24.24 “... Longe de mim oferecer algo ao meu Deus que não me custe nada...” Veja o que disse Jesus da oferta dos fariseus e da viuva em Lucas 21.3-4 “E disse: em verdade vos digo que lançou mais do que todos, esta pobre viúva; Porque todos aqueles deitaram para as ofertas de Deus do que lhes sobejava; mas esta, da sua pobreza, deitou todo o sustento que tinha. Podemos dizer que os fariseus davam suas ofertas do líquido, ou seja, do resto que sobrava depois de satisfazerem todas as suas necessidades. Enquanto a viuva deu do bruto, ou seja, primeiro considerou as necessidades da casa de Deus, ao invés de considerar as suas. Aquela oferta da viuva era tudo quanto tinha para comprar um pedaço de pão ou algo parecido, mas em vez de olhar primeiro para sua necessidade ela preferiu sacrificar a sua necessidade especial, isso exigiu dela um tremendo esforço, para acreditar que fazendo assim Deus iria ser com ela. É disso que precisamos, oferecer a Deus algo que não custe esforço é muito fácil e cômodo(os fariseus fizeram), quero ver fazer como essa viuva, aí o bicho pega, não é?
2.2. Amor – Diz a Bíblia que tudo que é feito sem amor não adianta para nada(1 Coríntios 1-3). Davi disse no versículo 3 o seguinte: “Por que amo o meu Deus...” Quem ama a Deus não tem dificuldade nenhuma de entregar seu dízimo, oferta ou qualquer outro bem para ser usado na obra de Deus. Quem ama a Deus estar disposto a fazer coisas incríveis, como o apóstolo Paulo, que por amor de seus irmãos estava disposto a ir para o inferno, desde que eles pudessem através desse ato serem salvos(Rm 9.1-5). Quem ama não mede esforços para ver o bem da pessoa amada, assim foi com Jesus, por amor deixou o seu lar de glória para se tornar homem, sofrer, ser humilhado, rejeitado e morto em uma cruz(Fp 2.5-12) Se a nossa motivação em fazer alguma coisa para Deus for outra coisa menos o amor, estamos perdidos, melhor era não termos realizados. Veja o que diz Mateus 7.21-23, essas pessoas fizeram grandes coisas para Deus, no nome de Cristo, mas não adiantou de nada, foram condenadas para o castigo eterno. Só poderá fazer as coisas por amor, aqueles que tem as suas vidas controladas pelo Espírito, pois sem esse controle não será possível alguém desenvolver essa atitude, pois o amor é um dos frutos do Espírito(Gálatas 5.22)
2.3. Voluntariedade – Tudo que fizermos para Deus deve ser realizado no espirito de voluntariedade. Veja o exemplo de Davi e de seus oficiais: “ ...Quem, pois, está disposto a encher a sua mão, para oferecer hoje voluntariamente ao Senhor. Então os chefes dos pais, e os príncipes das tribos de Israel, e os capitães de mil e de cem, até os chefes da obra do rei, voluntariamente contribuíram.” (2 Cr 29.5,6).
2.4. Integridade e Alegria – “E o povo se alegrou porque contribuíram voluntariamente; porque, com coração perfeito, voluntariamente deram ao Senhor; e também o rei Davi se alegrou com grande alegria.” (1 Cr 29.9). Ser integro é viver na sinceridade em todos os sentidos da vida, somente um coração integro tem credenciamento para ofertar algo a Deus de maneira que seja aceito como aroma agradável. Confira o versículo 17 onde diz que Deus verifica a nossa sinceridade: “E bem sei eu, Deus meu, que tu provas os corações, e que da sinceridade te agradas; eu também na sinceridade de meu coração voluntariamente dei todas estas coisas; e agora vi com alegria que o teu povo, que se acha aqui, voluntariamente te deu.” Davi afirma essa verdade em Salmos 51.17 “Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezará, ó Deus.” Quanto a alegria veja o que diz 2 Coríntios 9.7: “Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.” Quem tem esse fruto do Espírito que é alegria, poderá fazer assuas contribuições tendo a absoluta certeza delas estarem sendo aceitas por Deus. Os que não tem esse fruto, precisam buscar desenvolver em suas vidas, para que não corram o risco de estarem fazendo as coisa para Deus e não ser aceitas por Ele.
3. Em Mateus 5. 23-26 encontramos um princípio que deve ser levado em consideração por todos os crentes.
3.1. Bom relacionamento com o próximo(irmão) – Ninguém que tenha questões com o seu próximo, ou irmão, estar credenciado a oferecer qualquer coisa ao Senhor. É preciso primeiro conserta a situação antes de entregar algum sacrifício ao Senhor.
3.2. Essa verdade é ratificada no mesmo livro de Mateus 6.14, aonde é dito que se não perdoarmos o nosso irmão, tão pouco o nosso Pai não nos perdoará. Isso quer dizer que seremos perdoados pelo Pai na proporção que perdoarmos os nossos irmãos.
3.3. Novamente essa verdade é notificada em 1 Pedro 3.7, a onde diz que o casal que anda em atrito, não terá as suas orações respondidas. Quando alguém tem problemas com outra pessoa o fato é que ela estar tendo problemas em relacionar-se com Deus. Portanto o fato de não estar bem com Deus vai refletir no relacionamento com as demais pessoas.(Confira 1 João 1.5-7). Portanto é preciso termos um bom relacionamento com outras pessoas, principalmente os da família da fé, para que os nossos dízimos e ofertas sejam de fato aceitos por Deus.

CONCLUSÃO:
1. A entrega do dízimo precisa estar ligada ou associada aos princípios acima citados, os quais são de fundamental importância para aceitação por Deus.
2. Aprendemos que o nosso relacionamento com o nosso próximo, depende do nosso bom relacionamento com Deus.
3. Aprendemos que Deus já tem estabelecido princípios para organizar o melhor funcionamento da sua obra.
REFLEXÃO: Responda entre você e Deus as seguintes perguntas:
1. Quantas vezes você entregou o seu dízimo, sua oferta ou até mesmo um louvor a Deus com raiva de um irmão?
2. Quais são os princípios que lhe motivam a ofertar ao Senhor? Foi medo de ser castigado, de ser taxado por seus irmãos como não espiritual, desejo de ser abençoado, para compensar algum pecado ou falha?
3. Esses princípios são de Deus ou do Pr. Marcos?
4. Eles tem sido observados por você todo esse tempo de crente que você é?
5. Como anda o seu relacionamento com Deus? Qual o tempo você tem reservado para esse relacionamento? Você tem usado os meios legais para esse relacionamento ser possível(Bíblia – oração – igreja – leitura de bons livros – participação ativa na igreja – etc)? Você tem deixado Ele falar com você todos os dias(através da leitura da Bíblia)?
6. Lembre-se para termos um bom desempenho na nossa vida espiritual, precisamos acima de tudo vivermos bem relacionado com a luz. Como Deus avaliaria o seu relacionamento com Ele ( ) péssimo ( ) ruim ( ) regular ( ) bom ( ) ótimo. Que Deus te ajude na respostas a essas perguntas.
SENTENÇA DE TRANSIÇÃO: Qual será o quinto aspecto? O quinto aspecto estar relacionado com as benções para o dizimista.
V – QUINTO ASPECTO: QUAIS AS BENÇÕES PARA OS DIZIMISTAS?
1. Deuteronômio 14.28-29 é falado pronunciado benção para os dizimistas.
1.1. Todos aqueles que entregam o seu dízimo para o sustento da obra de Deus serão abençoados.
1.2. A benção estar dirigida em toda a obra que os dizimistas colocarem suas mãos
2. Deus em Malaquias 3.10-13 promete abençoar o dizimista da seguinte maneira:
2.1. Abrir as janelas do céu, de maneira que tenha tudo em abundância para suprir as necessidades.(Ex 1 Reis 17.13-16)
2.2. Ele promete expulsar o devorador que consome o nosso salário(farmácia, inflação, doença, ladrão, acidentes, etc)
2.3. Ele promete fertilidade, ou seja, produtividade, sucesso e prosperidade (2 Crônicas 31.9-10)
2.4. Ele promete felicidade a todos os dizimistas.
3. Em 2 Coríntios 9.6-11 Deus promete abençoar aqueles que contribuem com a sua obra. É claro que o contexto se refere a oferta, mas pode ser claramente aplicado para o princípio para os dizimistas.
3.1. Quem semeia mais colherá com maior abundância, o que semeia pouco, também pouco colherá(v.6). Podemos dizer que aquele que dar o dízimo do bruto terá a bênção do bruto, o que dar do líquido terá a benção do líquido.
3.2. Deus promete suprir todas as necessidades de maneira abundante(v.8)
3.3. Deus promete aumentar o alimento e os frutos de justiça(v.10)
4. Em Filipenses 4.17,19 Paulo afirma que todos quantos ajudam a obra de Deus financeiramente serão abençoados das seguinte maneira:
4.1. Estará aumentando o seu crédito nos céus.
4.2. Terá todas as suas necessidades supridas em glória, por Jesus Cristo.
CONCLUSÃO:
1. Todos os que contribuem com a obra de Deus serão recompensados abundantemente.
2. Deus nos abençoa fazendo com que o nosso dinheiro possa satisfazer todas as nossas necessidades essenciais.
3. Deus expulsa os devoradores do nosso salário para bem longe de nós, para que a nossa renda possa ser suficientemente multiplicada.
REFLEXÃO:
1. Você tem é capaz de notar a maneira de como Deus tem abençoado a sua vida?
2. Você é capaz de relacionar as coisas que Deus fez por você e que não foi preciso você gastar ou pagar por elas?
3. Você dar o dízimo e vive diretamente no aperto? Cuidado, algo estar errado?
4. Você acredita nas promessas de Deus? Alguma vez deixou de entregar o dízimo por não confiar nelas?
5. A quanto tempo você não gasta com o devorador farmácia?
6. Você tem gozado das benções que Deus promete nos versículos acima, ou ainda contínua sonegando o dízimo do Senhor?
7. Você acha justo que Deus abençoe aquele crente que não é fiel a Ele?
8. Você gostaria de hoje por diante ser um crente fiel a Deus no seu dízimo e nas ofertas? Faça agora esse compromisso com Deus aí mesmo no lugar a onde você estar.
9. Você gostaria de receber do Senhor a benção do bruto ou do líquido? Lembre-se dessa verdade: “quem muito planta, muito colhe, mas quem pouco planta, pouco também colherá” A tua fé é que determina o tanto de benção que você recebe.

SENTENÇA DE TRANSIÇÃO:
VI – SEXTO ASPECTO: POR QUE DEVEMOS ENTREGAR O DÍZIMO?
1. Porque Deus mandou: (Malaquias 3.10)
1.1. Ele não pediu por favor
1.2. Ele não disse que você desse quando pudesse
1.3. Ele não disse que você desse quando tivesse vontade
1.4. Ele simplesmente disse: “Trazei todos os dízimos para casa do tesouro...” O verbo estar no imperativo, o que indica ordem.
1.5. Se não tivesse outra razão, essa já era suficiente.
2. Porque o dízimo é do Senhor : (Lv 27.30)
2.1. Não podemos usar aquilo que não é nosso, fazer isso é roubo(Ml 3.7-8)
2.2. Você gostaria que alguém usasse o seu dinheiro, sem sua permissão? Claro que não, pois então, não faça o mesmo com o dízimo do Senhor.
3. Porque o dízimo é para ser usado no sustento da casa do Senhor: (Ml 3.10)
3.1. As despesas da igreja são pagas com os dízimos e ofertas do seus membros e congregados
3.2. Foi os últimos meios legais estipulados por Deus para o sustento da Sua obra.
3.3. Porque amamos o Senhor e a sua obra. “Nem todo dizimista ama a Deus, mas todo o que ama a Deus é dizimista”

CONCLUSÃO: Podemos deduzir que:
1. Quem é dizimista obedece um mandamento de Deus;
2. Ser dizimista é devolver a parte de Deus;
3. Ser dizimista é entender que tudo quanto você tem provem do Senhor e deve ser devolvido a Ele;
4. Ser dizimista é ser um cooperador do sustento da obra de Deus.
REFLEXÃO:
1. Você tem obedecido ao mandamento de Deus?
2. Você tem contribuído para o sustento da obra de Deus fielmente?
3. Você acredita que Deus tem mesmo o direito sobre o dízimo?
CITAÇÃO: “CONTRIBUA SEGUNDO AS TUAS POSSES PARA QUE DEUS NÃO TORNE AS TUAS POSSES SEGUNDO A TUA CONTRIBUIÇÃO”

Um comentário:

ffatimabqs disse...

Eu entendo que o dizimo e do fruto de seu trabalho, bolça familia e vale transporte, vale gáz é beneficio. Eu sou dizimista pela gratidão e para ajudar na obra não me baseio no em Malaquias pois não sou israelita.